Tudo é Dança

Redigida em:

Notas para dançar

 

São tantos assuntos (da) e na dança no momento que o melhor é fazer um overview, como dizem os americanos, sobre o que está acontecendo. E para você ficar por dentro de tudo fiz uma reunião de algumas notas para dançar. Confira.

MISTY COPELAND: in

O assunto mais falado da semana foi que Misty Copeland se tornou a primeira negra a assumir um posto de primeira-bailarina na história do American Ballet Theatre (ABT), de Nova York. Depois de encarar o Odile/Odette em O Cisne Negro e Julieta, na versão de Romeu e Julieta, vamos ver qual será o próximo desafio da bela que foi considerada umas das 100 personalidades americanas mais influentes da história pela revista Time.

JULIE KENT: out

A despedida dos palcos da bela Julie Kent, primeira bailarina do ABT, no dia 27 de junho, foi como Julieta, em Romeu e Julieta. Depois de 29 anos como bailarina da companhia, ela recebeu 23 minutos de aplausos. Sobre o seu futuro não existem rumores.

MAYARA MAGRI

O que por aqui também devemos comemorar que as brasileiras Mayara Magri e Letícia Stock, ambas do Royal Ballet Theatre, de Londres, foram promovidas a “first artists”. Mayara convenceu a direção com a sua atuação de Mercedes, em Dom Quixote.

CARLA KORBES

A brasileira que se aposentou dos palcos – ela era primeira bailarina do Pacific Northwest Ballet – no mês passado, acaba de se tornar diretora artística associada do L.A Dance Project. A gaúcha tem como chefe, mesmo do outro lado do mundo, Benjamin Millipied, atual diretor da Opera de Paris, que fundou o projeto.

OS NOVOS DO TANZTHEATER

Desde que Pina Bausch morreu em 2009, ninguém coreografava para o grupo. Isso mudará em breve. Sob direção artística de Tim Etchells, o elenco do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch deve ganhar três novos trabalhos para a temporada de setembro: Etchells estreia como coreógrafo, Theo Clinkard assinará a segunda obra e Cecilea Bengolea e François Chaignaud a terceira.

BROADWAY

Com estreia oficial marcada para dia 10 de dezembro o musical mais esperado da Broadway no momento é A Cor Púrpura, com música e letra de Brenda Russel e direção de John Doyle. No cast Cyntha Erivo como Celie, Denielle Brooks como Sofia e Jennifer Hudson como Shug Avery. A montagem promete e estreia no Bernard B. Jacobs Theatre.

BALANCHINE

A próxima temporada de balé do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em agosto, terá coreografias de George Balanchine (1904-1983): Serenade (1935) e Who Cares? (1937). Duas coreografias de tempos muito próximos que mostram a diversidade do coreógrafo. A Companhia está sem diretor artístico. Sérgio Lobatto deixou o posto há pouco mais de uma semana.

VEM AÍ

Falado pelo mundo do musical pelas inúmeras audições validadas pela equipe de criativos Disney, a mais nova (e grande) produção musical da T4F será Mary Poppins.  A estreia está prevista para 2016. Antes disso veremos em agosto, no Teatro Cetip (antigo GEO) Antes Tarde do Que Nunca, adaptação da comédia Nice Work If You Can Ge It,  com Miguel Falabella e Simone Gutierrez.

Foto: Bolly Vieira

Marcela

  Marcela Benvegnu

 

Marcela Benvegnu: Coordenadora de Educativo e Comunicação da São Paulo Companhia de Dança, jornalista (Unimep, 2005) e crítica de dança. É mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica (2007, PUC-SP) e pós-graduada em Estudos Contemporâneos em Dança pela Universidade Federal da Bahia (2004, UFBA). É codiretora do Congresso Internacional de Jazz Dance no Brasil desde 2009 e do site Revista de Danca. Atua em diversos festivais de dança do país como jurada, crítica e palestrante. Publicou textos em livros e revistas acadêmicas como Na Dança (Imprensa Oficial, 2005), Acervo Mídia Online (Produção Científica em Ciências da Comunicação, 2009), Terceiro Sinal (SPCD, 2011), Sala Preta (USP, 2011), Experiências Compartilhadas em Dança: Formação de Platéia (Unesp, 2013), Passado-Futuro (WMF, SPCD, 2014) e outros. É coautora do documentário Roseli Rodrigues – Poesia em Movimento (2011).